Últimas Notícias

Santuário

Estado

Nacional

Paróquia realiza entrega dos alimentos arrecadados da 2ª Corrida do Natal FelizCidade

Publicado em: 10/01/2017 - Fonte: Santuário de Canindé
Catadores que tiram o sustento no lixão de Canindé, localizado as margens da CE-257, receberam na manhã de hoje, a visita do Pároco e Reitor do Santuário-Paróquia de São Francisco das Chagas, Frei Marconi Lins. Na oportunidade o franciscano fez a doação de nove cestas básicas, fruto dos alimentos arrecadados na 2ª CORRIDA DO NATAL FELIZCIDADE.
Seis cestas básicas também serão doadas para Associação de Pais e Alunos Excepcionais – APAE e ainda mais 182 quilos de alimentos diversos para o Hospital Regional São Francisco de Canindé. Ao todo, foram mais de 360 k de alimentos arrecadados no evento da 2ª Corrida do Natal, com o objetivo de doação a esses locais.
Realidade de quem vive no lixão da cidade
O lixão é o retrato de uma realidade presente nos últimos anos: o trabalho com o lixo. São dezenas de famílias que trabalho pela dignidade, embora situação precária, encontram forma de renda e ainda contribuem para a preservação do ambiente, através da coleta dos materiais recicláveis, como papel, plástico, alumínio, vidro.
O lixo é o sustento de muitos anônimos que passam despercebidos por quem corta a rodovia.
Frei Marconi após fazer uma oração, usou da palavra pedindo aos catadores que se organizem, porque futuramente, esses locais deverão ser desativados e transformados em aterros sanitários e, isso pode acarretar dificuldade para quem se encontra nesse ambiente difícil de trabalho, se não existir uma cooperativa organizada.
A luta pela sobrevivência e inclusão social
O exemplo do lixo pode ser estendido para todo o Brasil. Pessoas sem estudo, que não conseguem inserir-se no mercado de trabalho e que encontram no lixo a única forma de sobrevivência.
Os catadores não trabalham com o lixo por prazer, por paixão, e sim por necessidade. Necessidade de pôr comida na mesa, de pagar as contas, de ter um lar, de sustentar um filho, um pai. Essa nova profissão, crescente nos últimos anos, antes de ser fruto do enorme fluxo de resíduos das grandes cidades, é resultado da falta de oportunidades para aqueles que estão excluídos da sociedade. 
Com informações do Santuário de São Francisco das Chagas
Colaboração de texto: Antônio C. Alves
Colaboração de fotos: Rogério Sales


 
Copyright © 2011 - 2016 Canindé On-line - Nosso Foco é Política
Grupo Canindé de Comunicação - GCCOM